24/03/2015
Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa

Quando aquilo então que é simples passa ser complexo? Ou, em que momento aquilo que parecia ser mesmo decorativo ou funcional ganha contornos expressivos para ser chamado de “arte”? Em Portugal isso aconteceu no século XIII, quando então o azulejo, usado para revestir superfícies interiores, começou a contar brilhantes histórias do imaginário português mundo afora.

Dos ambientes mais úmidos para as ruas toda ensolaradas. A diferença entre arte e decoração então pode ser essa: não ser só que é, mas tudo aquilo o que poderia ser. É essa ideia simples se tornando cada vez mais e mais complexa que parece guiar o trabalho de Diogo Machado, o Add Fuel.

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa

O ilustrador e street artist que devolveu o azulejo à tradição portuguesa, o fez em stencil e inundado de personagens do universo da pop culture. Basta um olhar mais demorado para perceber que aquilo que andava junto com os galos de Barcelos e tapeçaria de Arraiolos deu lugar a cartoons, monstros e personagens de games.  

É o patrimônio como herança viva, explorando novas técnicas, temas e também o além-mar. Add Fuel já colaborou com grandes eventos e marcas em todo mundo, com destaque para a participação no projeto Djerbahood e o mural dedicado à Revolução dos Cravos.

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa.

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa.

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa.

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa.

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa

Para conhecer mais do antigamente novo trabalho do Diogo Machado, o Add Fuel To The Fire, acesse o portfólio: http://www.addfueltothefire.com/

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa.

Cavamundo: Add Fuel, a herança viva portuguesa.

19/03/2015

A cidade não para. Nem ninguém. Mas bem verdade é que tudo parece andar no automático. Por isso, quando surge a necessidade de movimento novo, é preciso reconsiderar a relação com o lugar onde se vive. E isso é que é mudar de verdade.

A Cavalera é uma marca nascida e criada em São Paulo. Desde 1995, o streetwear, a música, a moda e arte guiaram a marca por universos diversos, inusitados, mas principalmente transformadores. Suas coleções celebram a cidade, a cultura urbana, a história e a vida das pessoas que pensam e fazem diferente o dia a dia dos grandes centros do Brasil – e hoje não poderia ser diferente.

De carona no conceito do #QueSeMova, uma campanha que incentiva a todos a descobrir, explorar, reinventar o lugar onde moram, trabalham, convivem, é lançada a linha de Bike Club.

Cavalera Bike Club

Cavalera Bike Club

São peças utilitárias e pensadas na mobilidade de quem tem a bicicleta como meio de transporte, prática esportiva ou lazer. E para testar essa ideia na prática, convidamos quem mais entende do assunto: Danilo Sales e Luiza Peixe.

Praticante do fixed-gear (bicicletas com pinhão fixo, sem marcha ou freio), Salles é um entusiasta do lifestyle do ciclismo urbano, sendo um dos responsáveis por promover eventos especiais nesse segmento, como o Fixolimpíada SP e o #VNT (Vai Na Terça), com o intuito de unir a comunidade para troca de informações e experiências do meio fixed.

Cavalera Bike Club: Danilo Sales

Cavalera Bike Club: Danilo Sales

Cavalera Bike Club: Danilo Sales

Cavalera Bike Club: Danilo Sales

Para ele, que além das manobras usa também a sua bike fixa como meio de deslocamento, atributos como o jeans impermeável, duplo reforço interno, cós duplo para pendurar cadeado e os refletivos na barra das calças e jaquetas para voltas noturnas fazem toda a diferença.  

Cavalera Bike Club: Danilo Sales

Cavalera Bike Club: Danilo Sales

Cavalera Bike Club: Danilo Sales

Cavalera Bike Club: Danilo Sales

Cavalera Bike Club: Danilo Sales

Cavalera Bike Club: Danilo Sales

Aqui e em qualquer lugar. Depois de cruzar Inglaterra, Holanda, República Tcheca e Alemanha de bicicleta, Luiza Peixe – que já foi bike courier (serviços de entrega) e praticamente de bike polo (somando duas participações em campeonatos sul-americanos) – agora se dedica a reafirmar a cultura da bicicleta nas cidades colaborando com o Coletivo CRU.

Cavalera Bike Club: Luiza Peixe

Cavalera Bike Club: Luiza Peixe

Cavalera Bike Club: Luiza Peixe

Cavalera Bike Club: Luiza Peixe

Com projetos importantes como o Gerônimas, que trabalha na pesquisa e desenvolvimento de sistemas capazes de gerar energia elétrica por meio da pedalada das bicicletas, e o CineCruB, que promove sessões de filmes com o tema mobilidade urbana, Peixe testou e aprovou a iniciativa do Bike Club, que chega junto com a necessidade de repensar a ocupação do espaço urbano.

Cavalera Bike Club: Luiza Peixe

Cavalera Bike Club: Luiza Peixe

Cavalera Bike Club: Luiza Peixe

Cavalera Bike Club: Luiza Peixe

Cavalera Bike Club: Luiza Peixe

Cavalera Bike Club: Luiza Peixe

E você, como está olhando para a sua cidade? Mostre suas impressões, revele suas opiniões e descubra novos pontos de vista usando a hashtag #QueSeMova. Está na hora de fazermos a diferença. Vem!

13/03/2015

Onde estão as suas lembranças? Onde você guarda o que é importante para você? Passado os tempos dos bibelôs e as camisetas “estive acolá e me lembrei de você” é bem provável que tudo que você viu, experimentou, descobriu está registrado e guardado em uma conta social. Fato.

Cavamundo: Sew Wanderlust | Foto: @teeteeheehee

Cavamundo: Sew Wanderlust | Foto: @teeteeheehee

Isso foi bem pouco para Teresa Lim. Enquanto viajava para a Austrália, a designer pensou duas vezes antes de guardar no rolo de câmera do smartphone uma foto do pôr do sol. Começou a costurar a cena que viu na praia de Perth, criando o seu próprio souvenir daquele momento.

O projeto “Sew Wanderlust”, que começou ao final de 2014, já passou por Alemanha, Cingapura, Holanda, Vietnã, Reino Unido e República Tcheca – e o tumblr de Lim está cheio de boas lembranças.

Cavamundo: Sew Wanderlust | Foto: @teeteeheehee

Cavamundo: Sew Wanderlust | Foto: @teeteeheehee

Cavamundo: Sew Wanderlust | Foto: @teeteeheehee

Cavamundo: Sew Wanderlust | Foto: @teeteeheehee

Cavamundo: Sew Wanderlust | Foto: @teeteeheehee

Cavamundo: Sew Wanderlust | Foto: @teeteeheehee

Cavamundo: Sew Wanderlust | Foto: @teeteeheehee

Cavamundo: Sew Wanderlust | Foto: @teeteeheehee

Cavamundo: Sew Wanderlust | Foto: @teeteeheehee

Cavamundo: Sew Wanderlust | Foto: @teeteeheehee

E você, como compartilha o que vê de novo no mundo? É sempre bom saber que as redes sociais são apenas um meio; a tecnologia uma ferramenta. Viva cada momento e conte só depois a sua maneira usando a hashtag #QueSeMova o que é importante para você. A gente se encontra por aqui. Vai lá!

Cavamundo: Sew Wanderlust | Foto: @teeteeheehee

Cavamundo: Sew Wanderlust | Foto: @teeteeheehee

12/03/2015

Um dos maiores guitarristas de todos os tempos está vindo para o Brasil.

Slash, um dos maiores guitar heroes da história do rock’n’roll, responsável por trilhar o sucesso do Guns’n’Roses em inesquecíveis solos e riffs de guitarra como em Sweet Child O’Mine, November Rain, e Welcome To The Jungle está de volta para uma série de shows por todo o país.

Persona: Slash no Brasil

Persona: Slash no Brasil

O músico britânico, que tem um lugar estrelado na Calçada da Fama do Rock’n’Roll, bem como já foi eleito entre os melhores guitarristas de todos os tempos diversas vezes por publicações como Rolling Stone, Time, Guitar World e Total Guitar, apresenta suas músicas na turnê World On Fire, acompanhado da banda Miles Kennedy & The Conspirators. 

Os dedos começam a coçar só de pensar, não é? Que tal mostrar esse talento todo na Cavalera? Não precisa nem de guitarra! Conhece o air guitar? Mande sua foto no Instagram debulhando tudo com a hashtag #CavaAirGuitar. Vamos escolher os melhores “solos invisíveis” e publicar na nossa página, semana a semana, acompanhando a turnê do Slash no Brasil: Rio de Janeiro (14/03); Belo Horizonte (15/03); 17/03 (Brasília); Curitiba (19/03); Porto Alegre (20/03) e São Paulo (22/03).

Persona: Slash no Brasil

Persona: Slash no Brasil

E por aqui já teve gente que não se aguentou: Fábio, vendedor da flagship da Cavalera na Oscar Freire e guitarrista da banda Believe, sempre fica alucinado com as playlists que tocam na loja, dedilhando guitarras imaginárias por toda a loja. Quando ficou sabendo dos shows do Slash, já mandou esse air guitar alucinante – de quem sabe mesmo o que faz.

Persona: Slash no Brasil

Persona: Slash no Brasil

Consegue fazer melhor? Manda para a hashtag #CavaAirGuitar! As melhores fotos vão aparecer, semana a semana, cidade a cidade, acompanhando a turnê do Slash no Brasil. You Rock!


 

 

05/03/2015
Exposição "Gujarata" na Barbearia Cavalera

Exposição “Gujarat” na Barbearia Cavalera

Um lugar para os homens de estilo. Na última terça-feira, foi inaugurada no tradicionalíssimo bairro do Bixiga uma inédita Barbearia Cavalera. E não foi sem festa: imprensa, músicos, celebridades, personalidades da moda, carros no melhor estilo lowrider e tudo mais que se tinha direito.

Fora os célebres e conhecidos serviços do mestre barbeiro Marinho e companhia, a nova unidade apresentou uma novidade: um espaço exclusivo para projetos multiculturais. E para abrirmos os trabalhos, a primeira exposição escolhida foi “Gujarat”, do talentoso fotógrafo e amigo de longa data Victor Collor.

Exposição "Gujarata" na Barbearia Cavalera | Foto: instagram @victorcollor

Exposição “Gujarat” na Barbearia Cavalera | Foto: instagram @victorcollor

Longe do lugar comum que sempre visitamos quando pensamos na índia, a série fotográfica retrata as peculiaridades fascinantes de barbas e bigodes dos homens Rabari, povo nômade que segundo a tradição do hinduísmo foram colocados no mundo para cuidar dos camelos e gados de Parvati, mulher de Shiva.

Mas esses são apenas alguns traços de perfis compostos por muito mais detalhes. Os adornos e penduricalhos que compõem o visual, o modo como “penteiam” o bigode – para cima ou para baixo –, o status da vaidade masculina mesmo em uma sociedade homens de vida mais simples, tudo é repleto de significado e, foi inalmente eternizado em fotos extraordinárias.

Conversamos com Victor Collor sobre essa viagem incrível, os dias em Gujarat e Rajastão – outro estado da Índia – e esse olhar tão atento à moda e beleza masculina. Confira.

Além de se vestir com muito estilo, percebemos por sua parte um interesse e cuidado também com beleza masculina. Ambos os interesses surgiram por demanda da profissão ou você sempre foi vaidoso?

Meu pai e minha mãe sempre foram referência de estilo, ainda mais quando visto pelo lado mais despretensioso, leve e divertido. Além disso, me lembro do primeiro filme que assisti de James Bond e tudo o que o personagem agrega junto a estilo, charme e claro, os gadgets. Acredito que a mistura desses fatores ao fato de ter morado fora na infância, me deram esse “norte” de estilo.

Exposição "Gujarat" na Barbearia Cavalera | Foto: instagram @victorcollor

Exposição “Gujarat” na Barbearia Cavalera | Foto: instagram @victorcollor

Como sua viagem pela Índia te inspirou a retratar seus bigodes e barbas?

Já tem algum tempo que me vejo inserido no mundo de barbearias e essa onda que tomou conta da nossa cabeça. Foi isso que enxerguei através da lente da minha câmera quando percebi o enorme “sucesso” de barbas e bigodes do povo indiano. Já é a minha segunda viagem ao país de Gandhi, mas só desta vez, junto a minha inserção no mundo das barbearias, que vi a oportunidade de retratar os mais diferentes estilos desse povo tão rico. No fim, a barba e o bigode são adornos, certo? E afirmo aqui que adorno é o que eles mais gostam!

Exposição "Gujarat" na Barbearia Cavalera | Foto: instagram @victorcollor

Exposição “Gujarat” na Barbearia Cavalera | Foto: instagram @victorcollor

Algum desses homens que você fotografou falou algo interessante? Alguma história sobre o bigode, quanto tempo cultivava, algo assim?

A comunicação com eles não era das mais fáceis, afinal no estado de Gujarat, quase não se fala inglês e nem essas modernidades para receber turista, mas a verdade é que a barba e os bigodes são adornos e uma única curiosidade que encontrei ao longo dos dias foi que se o bigode está virado para cima, quer dizer que aquele homem já não tem mais pai e é o “chefe” de sua família. Caso contrário, com o bigode apontado para baixo, significa que ainda mora em casa e o chefe da sua família ainda é o pai. Ou seja, dos mais velhos, a maioria tem o bigode pra cima devido à idade avançada. Característica que deu mais forças às imagens que ganharam, tanto com o bigode mais estilizado, quanto com as rugas e marcas que só o tempo nos dá!

Exposição "Gujarat" na Barbearia Cavalera

Exposição “Gujarat” na Barbearia Cavalera

Exposição "Gujarat" na Barbearia Cavalera

Exposição “Gujarat” na Barbearia Cavalera

Exposição "Gujarat" na Barbearia Cavalera

Exposição “Gujarat” na Barbearia Cavalera

A série fotográfica “Gujarat” fica em exposição até o dia 14 de Março na Barbearia Cavalera, localizada na Rua Conselheiro Carrão, 451. Todos as fotografias, impressas em 1.3 metros, estão à venda. Vale a pena também acessar o blog do Victor Collor, http://www.victorcollor.com.br.

 

04/03/2015

manifesto_cavalera05

Nós estamos vivendo um momento de muitos acontecimentos importantes tendo mulheres como protagonistas. Malala Yousafzai, a pessoa mais jovem a ganhar do Nobel da Paz, lançou sua autobiografia em 2013, na qual conta detalhes sobre o ataque de talebans que sofreu em 2012. Sophia Amoruso, CEO da marca de moda americana Nasty Girl, fundada e presidida por ela, teve sua empresa considerada como um dos maiores crescimentos nos últimos anos nos Estados Unidos. E a iraniana Maryam Mirzakhani tornou-se a primeira mulher a receber a medalha Fields, prêmio conhecido como o Nobel da Matemática.

manifesto_cavalera02

Esses são apenas alguns dos exemplos que podemos apontar ao falar de mulheres que receberam destaque nos últimos tempos, mas ainda há muita luta pela frente. Apesar de todas essas conquistas, ainda é arriscado para uma mulher andar por ai sem que nada interrompa seu caminho.

O Think Olga, liderado por Juliana de Farias, criou a campanha Chega de Fiu Fiu e, em parceria com a jornalista Karin Hueck elaborou uma pesquisa online em 2013, realizada com cerca de 8 mil mulheres para ouvir suas opiniões em relação a cantadas.

Ao contrário do que muitos pensam, 83% das mulheres não gostam de receber cantadas na rua. 90% das entrevistadas já deixaram de usar uma roupa pensando nos assédios que receberiam em determinados lugares, dentre outros dados que surpreenderam até mesmo as mulheres.

manifesto_cavalera03

 

A organização Hollaback também produziu um vídeo que mostra quantas cantadas uma mulher ouve ao andar por Nova York por 10 horas. Esse vídeo é muito legal, pois mostra uma rotina que poucos imaginam.


 

Dentro desse contexto, a Cavalera não poderia deixar de dar seu recado. Nossa homenagem foi produzir um manifesto que mostra que independentemente do tamanho da roupa que uma mulher escolha usar, curto, médio ou longo, elas merecem respeito.

manifesto_cavalera04

Em toda a história da Cavalera, sempre fomos uma marca livre de preconceitos e que acredita na liberdade, isso inclui a liberdade de escolher as próprias roupas, curtas ou não. Esse manifesto é em defesa das mulheres e para mulheres que não tem medo de ousar, seja pela inteligência, seja pelo tamanho da roupa, ou um misto dos dois.

Parabéns a todas as mulheres por expressarem sua força e continuarem construindo uma história diferente para o futuro.

26/02/2015

Desde 2013 em pleno funcionamento no bairro dos Jardins, a Barbearia Cavalera acaba de inaugurar um novo espaço no bairro do Bixiga. Inspirada também nas barbers shops da década de 30, o lugar tem tudo para repetir a fama e clientela especial da unidade original.

O que não vai mudar de jeito nenhum é o Mestre Barbeiro. No comando das navalhas desde o início, Marinho tem muita história para contar.

Nas navalhas, Mestre Marinho | Foto: VICCO

Nas navalhas, Mestre Marinho | Foto: VICCO

Baixista da banda paulistana de rap core Pavilhão 9 e um dos apresentadores do programa Lowrider Brasil no Discovery Channel, Marinho, que aprendeu e se especializou no ofício da barbearia após uma viagem para Los Angeles, é um personagem multifacetado da cultura streetstyle de São Paulo e um representante fiel de um estilo de vida “à moda antiga”.

Esse lifestyle está nas tatuagens – fez a primeira aos 14 anos, sozinho, com agulha e nanquim – no gosto pela cultura lowrider – Marinho tem um Chevrolet “Chevy” 1948 com suspensão modificada, o que faz o carro andar mais próximo do chão possível – na devoção por Nossa Senhora de Guadalupe e na própria barbearia Cavalera – com decoração escolhida a dedo por ele, dos quadros e pôsteres na parede aos tradicionais móveis do espaço, como os gaveteiros com espelhos e cadeiras de barbeiro com estofado em couro.

Nas navalhas, Mestre Marinho | Foto: @marinho13

Nas navalhas, Mestre Marinho | Foto: @marinho13

Nas navalhas, Mestre Marinho | Foto: VICCO

Nas navalhas, Mestre Marinho | Foto: VICCO

Nas navalhas, Mestre Marinho | Foto: VICCO

Nas navalhas, Mestre Marinho | Foto: VICCO

Nas navalhas, Mestre Marinho

Nas navalhas, Mestre Marinho

Nas navalhas, Mestre Marinho | Foto: @marinho13

Nas navalhas, Mestre Marinho | Foto: @marinho13

Nas navalhas, Mestre Marinho | Foto: @marinho13

Nas navalhas, Mestre Marinho | Foto: @marinho13

Por isso, quando estiver por lá, não deixe de trocar uma ideia com Marinho. Pergunte sobre a playlist que está tocando, sobre as viagens para a Califórnia, sobre a banda e novos shows do Pavilhão 9, e claro, dicas para manter uma barba e bigode de respeito.

 

 

 

 

11/02/2015

O Bloco #QueSeMova da Cavalera continua a toda sua caminhada pelas terras cariocas.  Em ritmo de Carnaval, fizemos uma parada providencial em Botafogo, a fim de conhecer aquele que é um dos lugares favoritos da cena cultural do Rio de Janeiro.

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna | Foto: Comuna.cc

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna | Foto: Comuna.cc

Criado com o objetivo de se tornar um espaço multifuncional, a Comuna surgiu primeiro como um ponto de encontro “pós-praia-pré-night”. Hoje, o casarão no centro-zona sul é um espaço multifuncional que recebe exposições de artistas, eventos de gastronomia – vale destacar o cardápio da casa, famoso por seus hambúrgueres servidos no bar – festas, feiras de artesanato e moda, e uma galera bacana a fim de se conhecer e trocar ideias com gente interessante.

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna | Foto: Comuna.cc

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna | Foto: Comuna.cc

Nesta última semana, a grande atração foi o La Ursa, bazar realizado sob a batuta da estilista Helena Pontes, do stylist Thiago Neves e da figurinista Carol Azevedo. No evento foram apresentadas as criações originais em acessórios e fantasias para o Carnaval – para ninguém ficar sem fantasia nesses dias de folia.

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna

No passo das festividades, a Cavalera fez um ensaio fotográfico exclusivo na Comuna com as criações originais do trio do La Ursa. Confira a combinação nota dez de acessórios com peças em Liquidação, 70% de desconto nas lojas próprias. É para folião nenhum botar defeito.

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna

Cavablog: O Carnaval do La Ursa na Comuna

Gostou? Você também pode descobrir a cidade com a Cavalera. Compartilhe sua dica, lugar favorito do mundo, espaço imperdível, aquele canto novo na praça com a hashtag #QueSeMova. Juntos podemos descobrir como aproveitar melhor a cidade e tudo que ela pode nos oferecer. Vamos nessa!

 

09/02/2015

É difícil viver nas cidades: ficar encarcerado no trânsito sem solução, se sentir claustrofóbico no trabalho horas e horas, desaparecer na penumbra dos prédios cada dia mais altos. É preciso ter jogo de cintura.

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

Flexível, um novo movimento tem se desdobrado uma perspectiva menos pragmática sobre o dilema metropolitano. Classificado como um “experimento arquitetônico” pela sua criadora, a arquiteta, dançarina e instrutura de Yoga, Anja Humljan, o projeto Urban Yoga abre espaço para uma discussão fundamental – onde parecia não ter lugar para mais nada.

Com uma proposta transformadora de reivindicar junto à cidade o direito de se “expressar a verdade fundamental da condição humana, o que inclui sonhos, imaginação e desejo”, Humljan protagoniza uma série fotográfica incrível por Nova Iorque, Madri, Paris e Liubliana (Eslovênia).

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

As cidades escolhidas não são somente capitais e grandes centros urbanos da América e Europa, mas lugares em que a própria arquiteta viveu e trabalhou como freelancer.Eu acredito que as cidades não devem ser consideradas como algo que perturba a nossa harmonia, mas sim como um elemento vital que contribui para isso. Então, eu saí do tapete e fui para a cidade para mudar a forma como nos sentimos, respirar e pensar sobre o ambiente urbano”.

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

Para conhecer o projeto Urban Yoga, que está em fase de desenvolvimento na plataforma Kickstarter, e se deslumbrar ainda mais, acesse: http://kck.st/1FnVZZI

Cavamundo: Urban Yoga

Cavamundo: Urban Yoga

03/02/2015

E continua a aventura da Cavalera no Rio de Janeiro. Em nossa última publicação, trouxemos todos os detalhes da chegada à Cidade Maravilhosa, com direito à praia, editorial, peças em liquidação – e continuam, com até 50% OFF – e tudo mais que quem vive e respira como um verdadeiro cavarocker merece. E não vamos parar por aí, né? #QueSeMova, galera!

Cavabloggers: Coletivo Baobá

Cavabloggers: Coletivo Baobá

Desta vez, fomos conhecer o Coletivo Baobá, Mais do que um grupo de artistas e curadores, o Baobá é uma experiência interdisciplinar e coletiva sobre a arte e cultura africana. Por meio de seminários, documentários, ensaios e editoriais, oficinas e eventos, o coletivo propõe um espaço livre, a fim de que diferentes interesses interajam e se integrem para falarem juntos de africanidade.

Cavabloggers: Coletivo Baobá

Cavabloggers: Coletivo Baobá

Aqui você pode conhecer um pouco dos serviços e trabalhos oferecidos pelo Coletivo Baobá. Mas já podemos adiantar um pouco do que você vai encontrar: dança, música, poesia, artes plásticas, cinema, design e, claro, moda, muita moda. E por isso mesmo a Cavalera teve todo prazer do mundo em participar de um ensaio especial.

Com o MAM – RJ (Museu de Arte Moderna) de cenário, contamos com a presença maravilhosa da bailarina, figurinista e produtora Géssica Justino e a atriz Aisha Jambo num editorial clicado pelo fotógrafo Stéph Munier, fotógrafo francês apaixonado pelo Rio de Janeiro e pela cultura africana.

Cavabloggers: Coletivo Baobá

Cavabloggers: Coletivo Baobá

Cavabloggers: Coletivo Baobá

Cavabloggers: Coletivo Baobá

Cavabloggers: Coletivo Baobá

Cavabloggers: Coletivo Baobá

Cavabloggers: Coletivo Baobá

Cavabloggers: Coletivo Baobá

Ainda que sob sol forte, o clima foi dos melhores. Ter o privilégio de conhecer e compartilhar a cena afro-urbana brasileira, buscar e incentivar movimentos culturais, manter viva a cultura e a beleza de nossas origens num universo cada vez mais efêmero, é fazer parte de algo maior, de algo verdadeiramente transformador.

E é essa atitude que buscamos com o #QueSeMova. Divida com a gente suas experiências através da hashtag em suas redes sociais. Vale foto, tweet, comentário, publicação, o que você quiser. Vamos todos juntos redescobrir o espaço que vivemos.